Publicações e Notícias

ENTENDA COMO FUNCIONA O SISTEMA DE VOTOS POR CORREIO NOS ESTADOS UNIDOS

Destaques, Notícias,

Publicado em: 29 de setembro de 2020

A população dos Estados Unidos irá às urnas escolher quem ocupará a presidência pelos próximos 4 (quatro) anos. O pleito presidencial nos Estados Unidos está marcado para 3 de novembro de 2020 e a disputa entre Donald Trump, candidato à reeleição pelo partido Republicano, e Joe Biden, candidato do partido Democrata, que acontecerá em meio a uma grave crise socioeconômica e de saúde pública.

O desemprego, por exemplo, alcançou níveis recordes em meio à pandemia da Covid-19 e, atualmente, atinge 16,3 milhões de norte-americanos. O país é o líder global no número de casos e mortes em decorrência do novo Coronavírus, o país registra mais de 5 milhões de infectados e 172 mil vítimas fatais da doença respiratória.

Ainda, os cidadãos norte-americanos poderão escolher o futuro presidente dos Estados Unidos da América sem sair de casa, considerando a possibilidade de votação por correio. A medida, que já é prática em alguns estados do país, foi flexibilizada em virtude da pandemia de Covid-19.

Na última eleição presidencial, em 2016, foram recebidos 33 milhões votos por correio, o que corresponde a 24% de todos os votos daquele pleito eleitoral. Deste modo, considerando a flexibilização da medida, a expectativa é de que em 2020 a proporção seja ainda maior, tendo em vista que essa modalidade de voto será possível no país inteiro.

De acordo com reportagem do New York Times publicada em 22 de setembro, até o momento, 64,4 milhões de cédulas já foram enviadas aos norte-americanos, distribuídos em 30 estados e no Distrito de Columbia, onde fica a capital dos EUA, Washington.

Como funciona a votação por correio

O Distrito de Columbia e outros 9 (nove) Estados enviam automaticamente aos seus eleitores as cédulas de votação, entretanto nos outros 41 (quarenta e um) estados, os eleitores precisam pedir a cédula para que possam receber em suas residências. Ainda, nos estados de Carolina do Sul, Indiana, Louisiana, Mississipi, Tennesse e Texas, os eleitores precisam apresentar justificativa para votar via correio.

Os eleitores têm prazos específicos para requisitar as cédulas, conforme o Estado onde estão registrados.

Votação antecipada

Além do voto por correio, os norte-americanos também podem antecipar seus votos presenciais. As regras variam consideravelmente de estado para estado, por exemplo, na Pensilvânia, os eleitores podem registrar as cédulas até 50 (cinquenta) dias antes das eleições, já em Oklahoma, a antecipação do voto pode ocorrer apenas até 5 (cinco) dias antes do pleito. Deste modo, até o final de outubro, é possível que mais da metade dos eleitores já tenham registrado suas escolhas pelo correio.

Candidatos

Nas eleições presidenciais de 2020, estão concorrendo o Republicano e atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o Democrata, Joe Biden.

Donald Trump, aos 74 anos, é um empresário, personalidade televisiva e político americano, sendo o 45º Presidente dos Estados Unidos, exercendo o mandato de 20 de janeiro de 2017 até o presente momento. Na eleição de 2016, Trump foi eleito pelo Partido Republicano ao derrotar a candidata democrata Hillary Clinton no número de delegados do colégio eleitoral. Em 1968, Trump recebeu um diploma de bacharel em economia da Wharton School da Universidade da Pensilvânia. Em 1971, recebeu de seu pai, Fred Trump, o controle da empresa de imóveis e construção Elizabeth Trump & Son, renomeando a empresa para The Trump Organization. Durante sua carreira, Trump construiu torres de escritório, hotéis, cassinos, campos de golfe e outras instalações com sua marca em todo o mundo. Atual presidente dos Estados Unidos, Donaldo Trump tenta a reeleição, como candidato republicano ao cargo de Presidente dos Estados Unidos nas Eleições Presidenciais de 2020.

Joe Bidden, com 77 anos, é um advogado e político norte-americano, filiado ao Partido Democrata. Bidden foi vice-presidente de Barack Obama, no período de 20 de janeiro de 2009 até 20 de janeiro de 2017, sendo o 47º vice-presidente dos Estados Unidos. Ainda, o candidato exerceu seis mandatos consecutivos como senador pelo estado de Delaware, período em que presidiu importantes comitês do Senado. No Senado, integrou por muitos anos e presidiu o Comitê de Relações Exteriores. Em 1991, se opôs à Guerra do Golfo, mas defendeu a intervenção dos EUA e da OTAN na Guerra da Bósnia em 1994 e 1995. Em 2002, votou a favor da resolução que autorizou a Guerra do Iraque, mas se opôs ao aumento de tropas norte-americanas em 2007. Atualmente, Joe Bidden é o candidato democrata ao cargo de Presidente dos Estados Unidos nas Eleições Presidenciais de 2020.

Após meses de trocas de acusações, o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, candidato à reeleição, e seu rival democrata na disputa pela Casa Branca, Joe Bidden, enfrentam-se nesta terça-feira (29/09), às 22hrs, no primeiro debate de uma campanha que ocorre sob alta tensão. Há 35 dias das eleições nos Estados Unidos, milhões de pessoas assistirão ao confronto verbal entre o presidente republicano e o ex-vice-presidente democrata.

Sistema Eleitoral

As eleições para a presidência nos Estados Unidos ocorrem de quatro em quatro anos, assim como no Brasil. No entanto, os pleitos apresentam muitas diferenças, a começar pela modalidade do voto, facultativo para os americanos.

Nos Estados Unidos o voto não é obrigatório, quem deseja participar do pleito eleitoral precisa registrar seu interesse como “registered voters”.

A principal diferença se dá no caráter indireto das eleições, que significa que o voto do cidadão não é creditado diretamente ao candidato. Nos Estados Unidos, o eleitor vota em delegados de seu estado que o representarão na escolha final do futuro presidente no chamado Colégio Eleitoral. Assim, não basta ter a maioria dos votos diretos dos eleitores no dia da eleição, o que um candidato à presidência dos Estados Unidos precisa é conquistar a maioria dos votos dos delegados que compõem o Colégio Eleitoral.

Quando os eleitores norte-americanos votam, eles na verdade estão decidindo para quem vão entregar os delegados de seus estados. Deste modo, os estados com mais habitantes têm mais delegados no Colégio Eleitoral. Por exemplo, a Califórnia, estado mais populoso do país, com quase 40 milhões de habitantes, está dividida em 53 (cinquenta e três) distritos eleitorais, ao passo que o Kansas, um estado pequeno, com menos de 3 milhões de habitantes, tem apenas 4 (quatro) distritos eleitorais. Ainda, considerando que cada estado ganha um delegado por distrito e mais dois (um para cada senador que possui no Congresso), a Califórnia tem no total 55 (cinquenta e cinco) delegados e o Kansas tem apenas 6 (seis), o que deixa bem clara a influência de cada estado sobre as eleições norte americanas.

Com informações de Poder 360

Compartilhe: